Produtos

CABO ÓPTICO AS80 72FO STERLITE

Cód. 1339

CABO ÓPTICO AS80 72FO CFOA-SM – STERLITE

O CABO ÓPTICO AS80 72FO é projetado para ser instalado nas redes aéreas de forma autossustentado, em vão de 80m, nas formações 72 Fibras monomodo. No que diz respeito a proteção contra entrada e propagação de água, podem ser fornecidos nas versões Gelado (G), Seco (S) e Totalmente Seco (TS), bem como com capa Simples (KP) ou capa Dupla (PKP). Estas capas, com relação ao comportamento frente a chama, podem ser do tipo NR (Não-Retardante) e RC (Retardante a Chama). Atendem a Norma ABNT: NBR 14.160 e Requisitos Anatel. São recomendados para todas as aplicações em redes de transporte, metropolitanas e de acesso FTTx/FTTH.

Fibra Óptica:
Monomodo Sterlite: ITU-T – G.652 D
Atenuação máxima da fibra no cabo dB/Km: 1310nm : 0.35 & 1550nm : 0.25
PMDq: ≤ 0.2 ps/ √km

Tubo Loose:
Preenchimento: Gel Tixotropico
Tubo de Fibras: Composto termoplástico PBT

Núcleo:
Elemento central dielétrico: Elemento FRP (Fibre Reinforced Plastic) revestido (quando aplicável) com PE
Preenchimento do núcleo: Fita bloqueadora de água

Cabo:
Fio de rasgamento: Fios torcidos de poliester
Elemento de tração periférico: Fios de aramida
Revestimento externo: Composto Polietileno Normal (NR) ou com propriedade retardante à chama (RC)

Fibra óptica (ou ótica)

É um filamento flexível e transparente fabricado a partir de vidro ou plástico extrudido e que é utilizado como condutor de elevado rendimento de luz, imagens ou impulsos codificados. Têm diâmetro de alguns micrometros, ligeiramente superior ao de um fio de cabelo humano. Por ser um material que não sofre interferências eletromagnéticas, a fibra óptica possui uma grande importância em sistemas de comunicação de dados.

Inicialmente as fibras ópticas eram utilizadas como guias de transmissão de sinais ópticos e operavam entre distâncias limitadas, pois apresentavam grande perda de luz na transmissão, alto calor que os lasers produziam e tinham problemas com as emendas. Contudo, em meados dos anos 70, ocorreu um aprimoramento significativo das técnicas ópticas utilizadas e, devido a isso, tornou-se possível a monitoração de grandezas e a troca de informações a longas distâncias. No Brasil a fibra óptica foi introduzida apenas em 1977, após grandes pesquisas, realizadas na sua maioria pela UNICAMP.

Há dois tipos de denominação recorrentes às fibras ópticas, os quais possuem características e finalidades próprias. Um deles é a fibra óptica monomodo. Esta apresenta um único caminho possível de propagação e é a mais utilizada em transmissão a longas distâncias (devido a baixas perdas de informação). Já a fibra multimodo permite a propagação da luz em diversos modos e é a mais utilizada em redes locais (LAN), devido ao seu custo moderado. (fonte: Wikipédia)